quinta-feira, 23 de junho de 2016

Visões


Reazione a Catena/Bay of Blood/Twitch of the Death Nerve (Mario Bava, 1971)

Digamos que Twitch of the Death Nerve é uma daquelas geniais combinações de palavras que invoca mais do que o filme realmente dá, enquanto Bay of Blood é mais certeiro. O título italiano resume bem este clássico do giallo realizado por Mario Bava. Ninguém é verdadeiramente inocente neste filme que, em essência, é um encadeamento de mortes violentas, com o que para a altura seriam cenas de gore profundo.A história é uma sucessão de crimes, a iniciar-se com o assassínio por enforcamento de uma velha condessa pelo seu marido, embeiçado pela jovem secretária de um arquitecto que quer transformar o lago, propriedade idílica da condessa, num resort. Segue-se a vingança do filho ilegítimo da condessa, que vive numa cabana à beira do lago e dá caça aos culpados da morte da mãe, a começar pelo seu marido. Ainda temos de contar com a filha legítima da condessa, que vê no extermínio de todos os envolvidos e testemunhas uma boa forma de assegurar o caminho para a herança. Pelo meio, quatro jovens algo libertinos e os vizinhos do arquitecto também são eliminados com extremo, e criativo, prejuízo. A cena do assassínio inicial é magistral, incómoda, e marca o tom de um filme de exploitation pura, com muitas mortes sangrentas e algumas maminhas à mistura, ao som do europop dos anos 70.



Não há inocentes neste filme, a começar nos espectadores, sublinhando o aspecto de voyeur interente à exploitation violenta. Bava sublinha muito bem essa perversidade, quer pelos ângulos de câmara que escolhe, muitas vezes em ponto de vista, quer pela tendência que tem em focar olhos através de planos de pormenor. É o olhar que está em evidência neste filme, com a câmara como dedo que acusa enquanto mostra ao espectador, com detalhes sórdidos e sangrentos, aquilo que deseja ver mas cujo fascínio não quer confessar.

Sem comentários: