sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Esquecer


Mensagens positivistas detectadas num daqueles sacos tão do agrado das minhas colegas de trabalho. Cheio de bons conselhos para uma vida mais alegre, gira, saudável, sei lá, mimosa.

Bons conselhos? Oh, wait...

O  do nascer e pôr do sol pode sair caro. Implica voos supersónicos intercontinentais. Nas flores, e se o/a receptor/a da oferenda tiver alergias a pólen? A oferta pode ser potencialmente fatal. Rir-mo-nos de nós próprios pode ser indício de bipolaridade. Ou depressão profunda? Permitir ao corpo acompanhar a mente é algo que pode resultar em ossos partidos. Ou aquela sensação que os limites biológicos são irritantes, para aqueles que têm o cérebro sempre em alta rotação. Ser penetra numa festa é boa desculpa para ser espancado por bandos de convivas enraivecidos. Pagar rodadas a todos, e se o bar estive apinhado? Desaconselhável a contas bancárias mais frágeis. Implícito na do fazer amor está algo que tecnicamente é ilegal. E se se for apanhado pode tornar-se possível a descoberta de todo um novo universo de sensações eróticas ao deixar cair o sabonente no chueviro do estabelecimento prisional. Vestir a roupa com que se veio ao mundo e fazer uma corridinha à chuva é a receita para uma boa gripe. Ou pneumonia.

É aconselhável não desvendar o resto dos conselhos. Havia mais, mas fiquei por aqui. Poderia agastar as multidões de bem intencionadas que adoram a vacuidade das filosofias new agey. O tipo de ideias que desperta o meu lado evil.

Sem comentários: