quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Dylan Dog #331: La Morte Non Basta



Giovanni Di Gregorio, Gianluca Cestaru (2014). Dylan Dog #331: La Morte Non Basta. Milão: Sergio Bonelli Editore S.p.A..

Uma aventura curiosamente mórbida do detective dos pesadelos. Após a morte violenta de uma namorada, Dylan sente-se particularmente desconsolado e amaldiçoa os desaires da vida. A Morte, personagem recorrente na série que tem motivos nunca revelados para proteger Dylan, ouve-o e decide fazer uma experiência. Nos dias seguintes Londres enche-se de pessoas que regressaram da morte para executarem assassínios aparentemente aleatórios. Dylan e o Comissário Bloch sentem-se incapazes de compreender esta estranha situação. Não é um surto clássico de zombies, são reviventes que regressam apenas para cumprir uma única tarefa mortal. O único ponto em comum parecer ser o facto das vítimas estarem todas em estado terminal, ou por doença ou por depressão. Tão subitamente como começou a vaga de estranhos assassínios termina, deixando Dylan ainda mais angustiado. É este o momento que a Morte escolhe para intervir e confessar a Dylan que tinha decidido fazer uma experiência, deixando o fardo de ceifar vidas nas mãos dos humanos para poder descansar um pouco. Falhou, porque em vez de cumprir a séria tarefa estes optaram pela violência cega ou por vinganças pessoais. Os homens são demasiados humanos para que lhes seja confiada uma tarefa tão séria. Com um suspiro, volta a pegar na sua foice e afasta-se.

Conto de horror com toque gótico, é um dos melhores episódios recentes do personagem, assinado por Giovanni Di Gregorio. O estilo gráfico, não se afastando do cânone da Bonelli, dá-nos algumas pérolas góticas em cemitérios clássicos.

Sem comentários: