quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Ficções

Anton Stark libertou no facebook dois rascunhos literários que está a desenvolver. As Cordas de Itz'mucan ressoa com aquela mística pré-colombiana que anda muito ausente das narrativas de género, mas desenvolve-se como uma vinheta intrigante que mistura universos paralelos com uma visão elegante da teoria das cordas num cenário que se inspira no mundo azteca. The Timekeeper/Liquid City é muito promissor, com uma intrigante colisão conceptual entre cenários de fantasia e FC de estilo steampunk num universo ficcional onde o tempo se dilui. São vinhetas, difusas e inacabadas mas a prometer intrigantes voos em mundos imaginários bem construídos. Os alicerces são sólidos, e resta aguardar pela conclusão dos contos.

A Fonte: Uma revisão do tema clássico sobre a ironia do possível quando os desejos são satisfeitos. Um homem de idade avançada vê satisfeito o seu desejo de regressar à juventude, mas daí não lhe advém o reavivar da chama da vida. Ele sente-se velho, mas quem o rodeia não o reconhece. Ao receber o que mais quis em troca perdeu tudo o que dava valor. A satisfação dos desejos íntimos neste conto de João Martins não é dada por génios da lâmpada ou outras entidades supra-naturais mas através de uma fonte, interligando-o com a iconografia da fonte da juventude. O conto merecia um ritmo mais rápido e uma melhor estrutura narrativa, embora se revele um esforço interessante.

23:59:59: Curta mas interessante vinheta que brinca com a ideia da paragem súbita dos relógios ao bater da meia noite num fim de ano. Globalmente e sem explicação plausível os relógios do mundo paralisam à medida que o ano vai terminando no globo. Enquanto a humanidade se interroga, assustada, os relógios recomeçam a sua marcha sem pré-aviso. Esta ideia de tempo cronológico suspenso fez-me recordar um conto de Ballard em que o tempo se dobra sobre si mesmo e apanha desprevenido um casal suburbano que passa um serão de tédio frente ao televisor. Só o homem nota que tudo se repete ciclicamente, com intervalos cada vez mais curtos entre cada repetição até que o tempo parece retomar a marcha prevista pela física clássica.

Sem comentários: