sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Hybrid Reality



Parag Khanna, Ayesha Khanna (2012). Hybrid Reality: Thriving in the Emerging Human-Technology Civilization. TED Conferences.

Boa parte dos futuristas são cópias pálidas dos Toffler. Khanna não escapa a este espartilho, proclamando logo a sua admiração pelo casal nas primeiras páginas deste curto livro. A partir daí, é o habitual tecno-optimismo de sillicon valley, propalando a crença na visão estrita de inovação sem limites favorita dos oligarcas digitais. É uma visão possível, que capacita elites, daí a visão de realidades híbridas, de tecnologia libertadora do potencial humano. Questões como o aquecimento global ou o impacto da robótica e automação na empregabilidade a curto e médio prazo só muito de passagem são aflorados neste livro, apologista de uma mescla entre homem e tecnologia. A sua verdadeira obsessão não é a capacitação do humano, mas o encontrar o próximo negócio de um bilião de dólares (acreditam piamente na impressão 3D como o próximo desses negócios, revelando um desconhecimento doloroso sobre esta tecnologia). O grande problema destas visões é a forma como conseguem ignorar o panorama global. A libertação via iPhone e redes digitais, com robots serventis e inteligências artificiais capacitadoras, tem beneficiado enormemente, de uma forma até agora nunca vista na história humana, uma pequena elite tecnológica, que operou mudanças inigualáveis e irreversíveis num espaço de tempo muito curto para a habitual escala histórica. Aos restantes, resta ser utilizadores, elementos de base nas minas de dados das stacks da economia digital.

Sem comentários: