quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Dylan Dog: Vietato ai minori; La Calligrafia del Dolore; L'uomo dei tuoi sogni.


Pasquale Ruju, Davide Furnò, Paolo Armitano (2016). Dylan Dog #357: Vietato ai minori. Milão: Sergio Bonelli Editore S.p.A..

Uma antiga paixão de Dylan, atriz de cinema B a sentir que os anos lhe pesam nos ossos, reaparece fugazmente nos dias do investigador dos pesadelos. Desaparece como apareceu, sem deixar rasto, exceto um bilhete de avião para Los Angeles e um convite para uma sessão de cinema. A contragosto, pois tem terror a voar, Dylan vai à cidade americana em busca desta diva desvanecida. Onde não a encontra, mas enquanto indaga sobre ela, descobre o cinema esquecido para onde foi convidado. Um edifício decrépito, que alberga um segredo degradante: é o palco anual de um prémio de cinema conhecido apenas por um grupo muito restrito de cinéfilos, filmes que exploram o horror infligido sobre pessoas até às últimas consequências. Liderado pelo mais acutilante crítico de cinema de Hollywood, este festival dedica-se a premiar filmes snuff. A actriz que fascinou Dylan parece ter um papel final num filme que resultará na sua morte, mas acaba por ser uma elaborada vingança que culminará na aniquilação dos cinéfilos depravados que já só se conseguem sentir tocados pela violência extrema. Uma história linear, que se compraz nos pormenores violentos, que se destaca pelo expressionismo da ilustração.

 
 Andrea Cavaletto, Luigi Piccatto (2015). Dylan Dog #352: La Calligrafia del Dolore. Milão: Sergio Bonelli Editore S.p.A..

Basta uma assinatura para mudar vidas. Nesta aventura, uma série de mortes violentas coloca Dylan na peugada de um notário que utiliza o estranho poder de uma caneta para fazer justiça pelas suas mãos. Infelizmente, terceiros também morrem, entre os quais uma mulher muito querida do passado do investigador. Aventura linear, que se percebe logo nas primeiras pranchas. Só a motivação das mortes é deixada para o fim. Toque de sobrenatural com as ações despoletadas pelas assinaturas. Ilustração interessante.



Paola Barbato, Paolo Martinello (2016). Dylan Dog #355: L'uomo dei tuoi sogni. Milão: Sergio Bonelli Editore S.p.A..

Quando o argumento é de Paola Barbato, já sabemos o que esperar. Histórias que de desenvolvem a um ritmo implacável, mais na vertente mistério do que sobrenatural, com um fio condutor coerente enquanto guia o leitor em episódios a princípio aparentemente díspares, cuja relacionamento se torna progressivamente mais perceptível quando se aproxima o final da história. Sendo uma série de 90 páginas mensais, as aventuras do investigador dos pesadelos estão estruturadas de forma episódica dentro de cada aventura, em crescendos e diminuendos, fazendo render a história. Nesta, a mais recente namorada de Dylan, uma investigadora forense da Scotland Yard, é incapaz de dormir, com um pesadelo recorrente sobre um homem ameaçador. Um pesadelo que se repete em muitos outros, que enlouquecem, se suicidam, ou embarcam em campanhas assassinas. Este personagem dos sonhos, com que Dylan também se cruzará, guarda os segredos mais íntimos das suas vítimas, permitindo-lhes que se esqueçam de actos questionáveis que fizeram, cobrando-lhes com as suas emoções. No caso da namorada de Dylan, esta reprimiu o segredo traumático de ter atropelado fatalmente um homem que a tentou violar. As restantes vítimas também guardam segredos similares

Sem comentários: