quarta-feira, 18 de maio de 2016

Instant Culture


Hmm. Onde é que eu já vi isto?
"There was no need to travel from the galactic backwoods (...) A GSV could bring the whole lot right up to your front door..." 
Pisquem os olhos e mal dão conta. O que no universo ficcional Culture é uma nave imensa, foi claramente Iain M. Banks a referenciar os lendários Archigram, arquitectos especulativos que entre muitas ideias arrojadas e provocadoras lançaram este IC Blimp.


O Instant City Blimp era concebido como uma forma de levar a cultura urbana às remotas zonas campestres. Um dirigível pop, capaz de encantar as populações isoladas com a vibração de moda acutilante da cultura urbana. Cidades instantâneas que se deslocavam pelos ermos em busca de populações isoladas.


Ideia que em si não era tão nova quanto isso. Nos anos 30, a União Soviética enviava às suas distantes províncias o Tupolev ANT-20 Maxim Gorky. Supra-sumo da engenharia aeronáutica russa, era uma aeronave gigante para os padrões da época. Incluía cinema, emissor de rádio e prensas para panfletos. Voava pelos sovietes fora a espalhar a palavra vermelha, às ordens de Estaline.

Curiosa, a referência de Banks, que se por um lado é claramente inspirada nos Archigram por outro, dentro do contexto do universo ficcional Culture,  a sua tecnocracia progressista de sociedade pós-escassez alicerçada em Inteligência Artificial tem o seu quê do utopismo soviete.

Sem comentários: