sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison


Enéias Tavares (2014). A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison. Rio de Janeiro: Casa da Palavra.

Uma deliciosa surpresa de Steampunk tropicalista. Enéias Tavares transmuta Porto Alegre para uma viragem de século com automótatos a vapor e dirigíveis. Fá-lo sabendo manter o foco narrativa não nos adereços estéticos steampunk mas num intrigante enredo onde serial killers, alienistas enlouquecidos, donas de bordéis de luxo, aristocratas decadentes, policias e jornalistas colidem de forma sangrenta.

O temível doutor que dá o nome ao livro aparenta ser um sádico assassino em série, responsável pela morte atroz e requintada dos elementos mais influentes da sociedade porto-alegrense. Médico respeitável, detalha a exploração das entranhas das suas vítimas em desenhos anatómicos que assombram os anatomistas. Mas Louison não é um assassino frio. Busca, na verdade, vingança, assassinando metodicamente os elementos impunes de uma sociedade secreta que se delicia nos excessos, da glutonia às piores sevícias sexuais infligidas sobre os mais fracos. São essas as suas vítimas, na dualidade entre a justiça da lei e a da vingança. Já o alienista que o aprisiona enquanto aguarda a execução é um doutor de pesadelo, psicopata xenófobo que usa o seu poder como director do asilo de lunáticos para experiências macabras. Louison irá escapar-se ao cadafalso, ajudado na sua fuga pelos elementos de uma outra sociedade secreta que usa para o bem os poderes da ciência e da mística.

A juntar a uma divertida aventura steampunk com um brilhante enredo entre o policial e o fantástico, está uma profunda vénia à literatura de época. O registo é epistolar, construindo a narrativa a partir de fragmentos de diários, registos sonoros e depoimentos, fazendo recordar a estrutura de Dracula de Bram Stoker. As vénias literárias não se ficam por aqui. Alguns dos personagens são originais, mas algumas das mais influentes são referências a obras clássicas da literatura brasileira que o escritor enumera ao concluir o livro.

Equilibrado entre uma boa história e um convincente ambiente Steampunk, este fantástico tropicalista é uma excelente surpresa de leitura imparável.

Sem comentários: