terça-feira, 18 de agosto de 2015

Portugal 2055

 

Bruno Pinto (2015). Portugal 2055: Uma BD Sobre Alterações Climáticas No Nosso País. Lisboa: Associação Tentáculo e Museu Nacional de História Natural e da Ciência.

Produzido num misto de crowdfunding com apoios insitucionais, editado pela Associação Tentáculo e Museu Nacional de História Natural e da Ciência, Portugal 2055 é um livro essencialmente didáctico e virado para a divulgação científica junto dos públicos infanto-juvenis. O tema, as consequências do aquecimento global, é pertinente e muito quente (perdoem-me, não resisti à piada). Os textos são da autoria de Bruno Pinto, com revisão científica de Maria João Cruz.

São textos cuja simplicidade sublinha a aposta na divulgação científica pedagógica para crianças, indo para lá do formalismo dos manuais escolares através das técnicas narrativas que incentivam a curiosidade das crianças. À mente vem o trabalho de Kieran Egan, o principal proponente do conceito de criar e contar histórias como técnica de aprendizagem. Este didactismo ajuda a explicar a fortíssima dose de optimismo que caracteriza este livro, em que parece haver sempre formas de adaptação às consequências das alterações climatéricas, mantendo-se a estrutura social tal como a conhecemos. É uma escolha adequada. A ideia é despertar consciências, não aterrorizar com distopias de CliFi gone wild.

Cada curta história aborda um aspecto das consequências do aquecimento global no território português, com vagas de calor mortal, desertificação do sul, espécies invasoras num atlântico mais quente, contaminação salina dos solos, intensificaçao de incêndios, entre outros aspectos. Cada um destes aspectos conta com um ilustrador, a dar um cunho visual pessoal aos segmentos.

Destes, destaco o gráfismo de Carla Rodrigues em Bem Vindos a Portugal, a quasi-abstracção de Susa Monteiro em Tempo de Sair de Casa, e as arquitecturas sincréticas cruzadas com tecnologia futurista de Penim Loureiro em Jantar de Amigos. Três pontos altos de uma antologia cuja pedagogia não passa só pela ciência, levando ao público-alvo, e por consequência às escolas, uma boa amostra da banda desenhada portuguesa.

A edição em papel, que ainda não tenho, poderá ser adquirida directamente à Associação Tentáculo ou no Museu Nacional de História Natural (com sorte, aproveito uma visita de estudo com os meus alunos para o adquirir). Portugal 2055 também está disponível em formato digital (PDF) no website do Museu Nacional de História Natural.

Sem comentários: