sexta-feira, 31 de julho de 2015

Engines of War


Christian Wolmar (2010). Engines of War: How Wars Were Lost & Won On The Railways. Public Affairs.

Um livro intrigante para estes dias em que o cérebro exige estímulo em alta rotação mas o corpo implora por desacelaração. Mergulhamos na história milita dos caminhos de ferro, numa análise que nos leva da guerra civil americana até aos dias hoje, demonstrando como o transporte ferroviário foi um factor decisivo nos principais conflitos que forjaram a contemporaneidade.

Previsivelmente, o livro centra-se nos desafios logísticos trazidos pelo transporte de homens e materiais, sublinhando como a gestão eficiente das linhas ferroviárias contribuiu para o desenrolar dos acontecimentos nos campos de batalha. Mas não resiste a alguns pormenores mais empolgantes, como as histórias rocambolescas de comboios blindados de combate que percorreram as estepes asiáticas (mais sobre isto no post do Medium que me alertou para este livro).

É interessante rever a história contemporânea sob a perspectiva dos caminhos de ferro. Aprender como estes meios foram fundamentais para a vitória nortista na guerra civil, que estabeleceu as bases da gestão eficaz de caminhos de ferro em tempos de guerra. Como não respeitar essas bases geralmente deu em desastres, como se observou na guerra franco-prussiana. A importância crescente do transporte ferroviário na I guerra e nos tempos conturbados que se lhe seguiram no leste europeu e na Rússia, onde o exército vermelho não teria triunfado sem o controle das ferrovias. Mostra também como pequenos pormenores - como o tamanho das bitolas utilizadas em diferentes países, são decisivos nas operações militares. Não esquece esselado tenebroso da eficiência ferroviária que foi o transporte das vítimas dos campos de concentração nazi. Termina com uma análise dos métodos altamente móveis da guerra contemporânea, que deixaram de necessitar da ferrovia como elemento infraestrutural.

Mas nada bate as histórias de frotas de comboios de combate deambulando pelos caminhos de ferro nas estepes da ásia central.

Sem comentários: