terça-feira, 30 de setembro de 2014

RPG


Quase nem ia dado por isto, enterrado nas páginas de crítica literária/cinematográfica/comics e gaming da SFX. A crítica não é lisonjeira. Suspeito que a desastrosa pronúncia do inglês do muito canastrão Pedro Granger não tenha ajudado o crítico. Digamos que léssh gô é uma epítome das calinadas linguísticas. E não era caso único. Pelo menos o crítico destaca pela positiva as cenas futuristas daquele que é um dos raros filmes portugueses de ficção científica, mas que não se torna automaticamente bom por ter esse carácter exclusivo. Por outro lado os críticos que desancaram o RPG também detestaram o intrigante Life After Beth mas adoraram a mais recente teen dystopia encarnada no Maze Runner. Prove-se com um grão de sal.

Sem comentários: