quinta-feira, 26 de junho de 2014

Obscurum Nocturnus


Diogo Carvalho (2014). Obscurum Nocturnus.

A curiosidade ficou desperta mal ouvi falar desta edição independente e foi-se aguçando através das redes sociais. Aproveitei a recente apresentação em Lisboa na El Pep para investir numa edição, que se revelou uma digna adição à minha colecção de literatura e BD de fantástico português.

A história parte de uma premissa algo derivativa, que se assume como profunda homenagem ao horror no cinema e televisão. Temos um jornalista aveirense que fez sucesso a partir de livros de gosto questionável que sente querer mais da vida. Vê-se metido numa violenta trama de bruxarias, encantamentos, cerimónias satânicas e invocações demoníacas quando se envolve com o que parece ser uma discreta e cautelosa professora que afinal é a líder de um conciliábulo de bruxas. Pelo meio surge um misterioso caçador de horrores, eremita vagabundo que dedica a vida a viajar pelo país a exterminar criaturas de pesadelo em nome de uma ordem secreta que protege a humanidade. Percebe-se aqui o lado derivativo deste livro. Parte de um ponto muito similar à de tantos filmes, comics, livros ou séries. Mas sublinhe-se que é uma derivação intencional, assumida, que traduz e sublima os gostos pessoais do autor. O leitor, discernidor e conhecedor, sorri e agradece.

Em termos gráficos o traço é funcional, misturando a inspiração no estilo das graphic novels com um estilismo pessoal, próprio da BD independente. E não nos poupa aos pesadelos e monstruosidades que se esperam de um livro que mergulha nas águas negras do horror.

Livro perfeito para fãs do sobrenatural fílmico e literário, surpreende, encanta e após terminar a leitura deixa aquele gostinho de apetecer ler mais. Será que poderemos aspirar a que tenha continuidade?

Sem comentários: