domingo, 8 de junho de 2014

Casa Grande


Se não conseguem perceber o trocadilho digam ready-made com sotaque brasileiro. Esta sequência de produtos artísticos pertence a um grupo de intervenção artística contemporânea de Porto Alegre que teve a dúbia distinção de ser considerado racista por um tribunal local por se concentrar em exclusivo em artistas da tradição afro-brasileira.


O colectivo produz peças e performances de forte carácter interventivo, reflectindo sobre o papel do negro na imagem cultural do Brasil, tocando nos preconceitos, ironizando as bizarrias locais, discutindo o papel de uma economia com poucos direitos laborais que tocam uma minoria que é de facto uma maioria.


Esta foi uma das peças que mais me tocou: apropriação de capas de manuais escolares de história brasileira com frases de combate que reflectem a visão dos oprimidos da história.


Uma exposição muito curiosa patente durante o 26.º Encontro da APECV/2.º Congresso da RIAEA.

Sem comentários: