domingo, 15 de dezembro de 2013

Dandeleão


Carlos Silva (2013). Dandeleão. Smashwords.

O que surpreende neste conto longo de Carlos Silva é o sentido de escala. Com um estilo narrativo mais centrado no desenrolar da história do que na descrição pormenorizada do espaço ficcional visual mal nos apercebemos da vastidão do objecto que dá o nome ao conto. Sente-se uma fina sensibilidade steampunk sem exageros ornamentais, apesar os motivos estarem todos lá. A inspiração tem o seu quê verniano de Robur, embora a aeronave seja neste conto não um engenho aéreo mas uma cidade dos ares capitaneada por um implacável nobre português que não olha a meios para obter o que quer. Através das azaradas aventuras de um metereologista capturado por piratas do ar que abatem o dirigível que liga Lisboa ao Brasil fazemos o périplo que nos mostra este singular mundo onde uma ciência novecentista que poderia ter existido se cruza com a vontade férrea de um homem ambicioso e chás de ervas causadoras de adição profunda. Outro ponto notável neste livro é o que ele não nos diz, os vislumbres que nos dá de algo com um potencial mais vasto. Uma boa surpresa literária num discreto ritmo steam, a descobrir no smashwords: Dandeleão.

Sem comentários: