domingo, 15 de dezembro de 2013

Comics: The Shadow 1941; Dotter of Her Father's Eyes.


Dennis O'Neill, Michael Kaluta (2013). The Shadow 1941. Mount Laurel: Dynamite Entertainment.

Uma boa reedição da Dynamite, que detém correntemente os direitos sobre a personagem, de uma das melhores histórias de The Shadow publicadas nos anos 90. Dennis O'Neill assina um argumento frenético onde o violento herói e os seus fieis ajudantes vão defrontar gangues americanos apoiantes do nazismo para assegurar que o astrólogo favorito de Hitler fique sob sua influência e persuada o ditador a atacar a Rússia, provocando a sua derrocada e dando espaço para o ocidente democrático sobreviver. O ilustrador Michael Kaluta faz um trabalho interessante e expressivo no desenho, acompanhado na perfeição o ritmo imposto pela narrativa. Esta reedição recupera um excelente momento no historial editorial da personagem.


Mary Talbot, Bryan Talbot (2012). Dotter of Her Father's Eyes. Milwaukie: Dark Horse Comics.

A agitada biografia de Lucia, filha de James Joyce, é o ponto de partida para este livro encantador que mistura autobiografia com um vislumbre da vida de algumas das mais marcantes personalidades da literatura do século XX. Narrada numa voz muito pessoal, a autora estabelece paralelos entre a sua vida pessoal analisando a relação com um pai autoritário, que foi também um reputado académico especializado em James Joyce. São muitos os paralelos entre a vida de uma jovem estudante, que futuramente seguirá os passos do pai no meio académico, e a filha ambiciosa mas reprimida do maior autor do alto modernismo cuja paixão pela dança é aniquilada por uma mãe antiquada e um pai demasiado centrado no seu sucesso. Lucia Joyce terminou a sua vida encerrada num asilo de lunáticos francês, mas a autora deste Dotter of Her Father's Eyes encontrou o seu lugar.

Bryan Talbot, ilustrador de obras tão marcantes como The Adventures of Luther Arkwright ou Grandville, desenha este livro numa curiosa mistura de estilos gráficos que oscila entre os tons sépia das memórias de infância da autora, um registo de altos contrastes nos momentos narrativos respeitantes à biografia de Lucia Joyce, tonalidades hippy com uma certa ingenuidade pré-rafaelita nos momentos em que o livro versa sobre a sua relação pessoal com a autora (são casados), e uma fria iconografia de cores vivas, limpas e sem sombras para o tempo contemporâneo.

Interessante mistura de romance, biografia académica e autobiografia acompanhado por uma ilustração deslumbrante, este livro ainda se torna mais encantador pelas constantes referências à obra de Joyce. Abundam citações e referências linguísticas aos extraordinários Portrait of the Artist, Ulisses e Finnegan's Wake, obras incontornáveis da literatura do século XX. Estas citações deliciam os leitores conhecedores da obra de Joyce e, francamente, dão uma enorme vontade de ir às estantes buscar os já amarelecidos tomos do autor e voltar a mergulhar na ainda hoje revolucionária sensibilidade literária modernista. Este é nitidamente um trabalho de amor, da autora pelo tema e do ilustrador pela autora.

Sem comentários: