terça-feira, 22 de outubro de 2013

Comics: The Valley of Fear; The Squirrel Machine.


Arthur Conan Doyle, Ian Edginton, INJ Culbard (2011). The Valley of Fear: a Sherlock Holmes Graphic Novel. Londres: SelfMadeHero.

Fazer uma apreciação a este texto é uma armadilha de que fujo. Trata-se de Conan Doyle, clássico e firmemente dentro do domínio do policial. Edginton faz uma adaptação capaz do conto, mantendo a tensão e o conflito entre as pistas que a narrativa nos dá e a imprevisibilidade das deduções de Holmes cuja lógica só se torna aparente após reveladas. INJ Culbard empresta o seu traço simples e elegante com uma paleta de cores obscura e suave. Houve um pormenor que me surpreendeu. A constância dos olhos. Em todas as vinhetas Culbard utiliza cores sombrias e tons escuros, mas destaca sempre os olhos dos personagens. É um constraste surpreendente, o branco do olhar a brilhar no meio dos tons escuros. Alguma metáfora sobre o brilho da lógica dedutiva sobre as trevas da incompreensão?


Hans Rickheit (2009). The Squirrel Machine. Seattle: Fantagraphics.

Deliciosamente grotesco e surreal. O traço preciso e de enorme clareza choca com o onirismo visceral de um argumento que homenageia a ilogicidade do surrealismo. Paisagens de sonho, casas que se estendem através de espaços impossíveis onde a arquitectura se mescla com mecanismo, bizarras máquinas que misturam o ferro com a carne e despertares sexuais são alguns dos elementos desta história de dois irmãos e do seu mundo muito próprio. Abandonem a lógica, e esperem o inesperado a cada bem desenhada vinheta deste livro curioso.

Sem comentários: