terça-feira, 25 de junho de 2013

Un Uomo Un'Avventura: L'Uomo del Bengala; L'Uomo di Pskov.


Gino D'Antonio (1990). L'Uomo Di Bengala. Bressa: Hobby & Work.

Numa série que conta com Pratt, Toppi e Crepax o estilo clássico deste Gino D'Antonio quase destoa. Desconheço o trabalho deste ilustrador, do qual a incursão ao fumetti começa a despontar o véu. Deste e de tantos outros autores e personagens desconhecidos fora das fronteiras alpinas que ocultam um filão precioso de imaginário. A história é de aventura pura numa Índia ao estilo de Kipling, ilustrada num traço clássico já datado mas nem por isso de menor mestria. Esta aventura em Bengala é um mergulho no imaginário do Raj, dos homens que poderiam tornar-se reis entre os povos indianos, no exotismo dos costumes do fascinante sub-continente.



Guido Crepax (1977). L'Uomo Di Pskov. Milão: Cepim.

Crepax traz o seu traço único a uma história impiedosa onde não há heróis. Na Rússia revolucionária sovietes e russos brancos batem-se numa guerra sem tréguas que não poupa atrocidades sob a população civil. Esta edição da série é notável não só pelo traço do autor, mas também porque o homem que dá o mote à aventura é um personagem que só surge nas últimas páginas da obra: um oficial do exército imperial que, farto das atrocidades que lhe ordenem que pratique, abate a tiro o seu superior para salvar duas jovens refugiadas numa casa cercada que servira de abrigo a quatro soldados soviéticos mortos pelas espingardas dos russos brancos após uma carga heróica mas fútil. A recompensa pelo acto heróico e justo é um pelotão de fuzilamento. Assistimos ao desenrolar da história pelos seus olhos, mas só no final é que tal nos é revelado. Vermelho de sangue, branco da neve e rostos distorcidos são a marca icónica deste trabalho cativante de Guido Crepax.

Sem comentários: