quinta-feira, 6 de junho de 2013

Soylent


E de quando em vez o incauto internauta é atordoado com surpresas aleatórias vindas das profundezas do mundo digital. Desta vez um captcha culto, que aos conhecedores desperta memórias cinematográficas de Make Room! Make Room!. Um livro de ficção científica malthusiana de Harry Harrison que é conhecido por ter Charlton Heston a divagar no ecrã gigante no filme Soylent Green. A historia reflecte preocupações com o crescimento populacional e o esgotar dos recursos naturais, pintando um panorama distópico onde  massas de população literalmente entopem as cidades. Numa das cenas, para abrir caminho por uma avenida pejada de corpos que vão descansando entre alimentações, são necessárias retro-escavadoras para abrir espaço de passagem. Carne, peixe ou vegetais são luxos rarefeitos,  restando um produto aparentemente miraculoso composto por pastilhas nutritivas para substituir a comida natural cujo mistério antropófago colocou a expressão soylent green no léxico de conceitos de ficção científica distópica. Digamos que a coisa não é produto vegetariano.

Sem comentários: