segunda-feira, 3 de junho de 2013

Hugo Pratt, L'Uomo del Sertão




Nos desenhos complexos, elaborados, hiper-reais o cérebro maravilha-se com a mestria transposta para o papel. Com os desenhos mais surreais ou expressivos o encantamento vem da intuição de interpretações diversas da realidade, paralelismos dissimilares ao nosso continuum consensual e das suas possibilidades ficcionais. O tipo de traço que mais desafia as áreas visuais cerebrais é aquele que é sintético, estilizado, que vive de poucas linhas e sóbrio uso de cor, não se perdendo em detalhes e ilustrando o real com uma simplicidade quase zen. Estimula a nossa capacidade de ver padrões até mesmo onde estes não existem, força o olho a obrigar a mente a preencher os espaços em branco levemente sugeridos pelas linhas e cores.

Sem comentários: