terça-feira, 28 de maio de 2013

Glittering Images


Camile Paglia (2012). Glittering Images: A Journey Through Art From Egypt to Star Wars. Nova Iorque: Pantheon.

Paglia é assumidamente panfletária neste Glittering Images. Escrito em reacção às opiniões públicas e ao que a autora considera um sistema educativo que deixa de lado quaisquer referências às artes para lá de um pequeno aspecto lúdico, negando às massas o acesso aos milénios de tradição erudita da cultura, este livro é uma jornada muito pessoal por momentos-chave da história da arte. Paglia pega em obras centrais, não necessariamente as mais conhecidas, para abordar com uma invejável erudição vários momentos da continuidade da tradição artísticas europeia. A arte contemporânea representa uma parte importante do livro, com a autora a desmontar a tradição pós-realista que vai dos impressionistas aos happenings e arte conceptual contemporânea, muito distantes do que o público mal informado considera "arte".

Termina de forma bombástica, unificando os conceitos de arte erudita e arte popular colocando George Lucas no mesmo pé que Donatello, DaVinci, Monet ou Picasso. Pode parecer chocante aos olhos que gostem de traçar distinções entre cultura "séria" e géneros, mas Paglia coloca o dedo na ferida: as artes tradicionais desdenharam os meios tecnológicos, que apropriados pelas artes aplicadas infiltraram a cultura popular com artefactos visuais de estilismo e complexidade similares aos da grande tradição artística mundial. É esse o elogio de Paglia a Lucas, o ter sido capaz de traduzir conceitos meta-ficcionais para a cultura global de uma forma visualmente apelativa.

Sem comentários: