quarta-feira, 29 de maio de 2013

Fumetti: Brendon: Nato Il 31 Febraio, Caravan: Il Cielo Su Nest Point.


Claudio Chiaverotti, Massimo Rotundo (1998). Brendon nº. 1: Nato Il 31 Febraio. Milão: Sérgio Bonelli Editore.

Nos velhos tempos da guerra fria as visões de mundos pós-apocalípticos eram o escape imaginativo necessário à ameaça bem real da guerra nuclear. Futuros com paisagens devastadas e sobreviventes andrajosos a sobreviver nas ruínas da glória de civilizações passadas que se auto-destruíram são um dos mais explorados campos da ficção científica. Este intrigante Brendon mergulha directamente neste campo. Neste fumetti somos levados à Inglaterra cento e cinquenta anos após o colapso da civilização, caída não pelos efeitos de uma guerra atómica mas graças ao choque de um asteróide com o planeta. As velhas cidades são ruínas habitadas por mutantes ou criminosos, enquanto uma nova civilização tenta recuperar os saberes esquecidos em comunidades medievalistas. É nesta paisagem desolada que se move Brendon, caçador de recompensas com bom coração que enfrenta os perigos inomináveis do mundo novo pós-colapso. Nesta primeira aventura somos introduzidos ao mundo pós-apocalíptico através de uma curiosa história de amor, obsessão e tecnologia criogénica que é uma boa desculpa para um périplo que mostra aos leitores as bases do mundo ficcional da obra. A premissa é interessante. Apesar de bem estruturado, o argumento desenrola-se de forma previsível. O destaque vai para o traço do ilustrador Massimo Rotundo, a canalizar na perfeição visões pós-apocalípticas com um toque típico dos anos 90 do século XX.


Michele Medda, Roberto de Angelis (2009). Caravan: Il Cielo Su Nest Point. Milão: Sergio Bonelli Editore.

Uma premissa de literatura fantástica é o mote para uma história criminal. Caravan arranca in media res, com o narrador na estrada a iniciar o relato de uma longa viagem cuja razão e destino nunca são explicados. Os elementos de fantástico estão no porquê do périplo: um vórtice misterioso nos céus surpreende uma pacata cidade suburbana, paralisando todos os aparelhos eléctricos durante algumas horas de pânico. Após o desaparecimento do vórtice a cidade é evacuada pelos militares, dando origem à caravana de automóveis que se move lentamente pelas auto-estradas. Esta é a premissa, mas não é o corpo da historia, uma narrativa banal sobre com toque de giallo às voltas com crimes de paixão e cupidez.

Sem comentários: