domingo, 15 de abril de 2012

But, is it art?


 Mais um vislumbre dos processos de databending com o audacity. A imagem original tem de ser convertida em bitmap para poder ser processada como ficheiro raw. O bitmap é um formato não comprimido. Formatos com compressão são irremediavelmente danificados neste processo.

Na primeira sequência de imagens vemos a imagem original, três processos de databending (phaser, chebyshev distortion e harmonic generator) e a imagem final compósita a partir das sete produzidas aplicando filtros audio à imagem aberta como som. Ao fim de algum tempo às voltas com isto já consigo antever qual será o resultado do efeito aplicado, mas só de um modo geral. O resultado final é sempre inesperado. Este é um processo de trabalho em que não estamos a ver as transformações que aplicamos à imagem.


Aqui, os processos mais destrutivos: filtros echo, am pitchshifter, audio divide e corte e colagem aleatória de partes da onda sonora.  A imagem compósita no Gimp é criada a partir da mesclagem de camadas com aplicação de efeitos de camada. 


A publicação das imagens na web reduz o seu tamanho. Os pormenores perdem-se. Isto é a captura de ecrã de parte da imagem final no seu tamanho original. Aqui consegue-se apreciar a serendipidade da abstracção aleatória conseguida através do databending como processo de criação.

Sem comentários: