terça-feira, 8 de junho de 2021

Fumetti: Destinazione Luna; Il cervello quantico

 

Bepi Vigna, Sergio Giardo (2020). Nathan Never: Destinazione Luna. Milão: Sergio Bonelli Editore.

Uma história entre futuros. No futuro de Nathan Never, a expansão de uma das primeiras bases lunares revela um misterioso cadáver escondido numa caverna. Never é convocado para investigar, percebendo que o mistério vem dos tempos dos primórdios da exploração da Lua, tempos cujos arquivos foram em grande parte perdidos. Entretanto, acaba por descobrir um traidor no meio do pessoal da base lunar, que nada tem a ver com o cadáver. No nosso futuro próximo, uma astronauta nas vésperas da sua primeira missão lunar descobre que o pai, ele também um promissor astronauta mas morto prematuramente, afinal está vivo, embora agonizante. Um subterfúgio doloroso encontrado por um homem que, ao participar numa missão secreta para o seu país, teve de sacrificar tudo para evitar que a família venha a sofrer represálias. A sua morte fictícia também lhe roubou a hipótese de pisar o solo lunar, o seu grande sonho. Nas vésperas da sua missão, a filha exige à NASA que o cadáver do seu pai seja sepultado no solo lunar. E consegui-lo-á, embora no futuro Never nunca venha a descobrir este porquê.


Giovanni Eccher, Giovanni Nisi (2019). Martin Mystère n. 364: Il cervello quantico. Milão: Sergio Bonelli Editore.

O detetive do impossível cruza-se com o misterioso caso de uma jovem que não consegue ver o presente, só consegue ver cinco anos atrás no passado. Procurando as suas origens, Mystère depara-se com os resultados de uma misteriosa experiência militar, que tentou desenvolver capacidades precognitivas em soldados. Os sobreviventes, tendo desenvolvido estas capacidades, decidem fugir numa fuga de décadas a um departamento secreto militar. Mas um deles tem uma filha, que coloca num orfanato, supostamente longe do perigo. Programas secretos, antiterrorismo e capacidades de visão do passado e do futuro cruzam-se nesta aventura sobre uma suposta capacidade quântica do cérebro.

Sem comentários: