terça-feira, 16 de fevereiro de 2021

Ootheca

 Mário de Seabra Coelho (2021). Ootheca. Strange Horizons.

Uma leitura portuguesa, traduzida para inglês no eZine Strange Horizons. Ootheca é um conto de puro surrealismo fantástico, passado num mundo atemporal decaído e sujeito aos ditames aleatórios de um deus morto. Um homem que carrega a maldição de ter tido os dentes transformados em baratas cruza-se com uma antiga namorada, que após a morte do marido está obcecada com confrontar-se com as estranhas entidades que concedem as maldições aleatórias que, a qualquer momento e por transgressóes inesperadas, podem recair sobre os habitantes deste mundo que vive nos restos da nossa sociedade contemporânea.

O conto é uma delícia do fantástico, depressa nos agarra com os vislumbres que nos dá, de um certo futurismo decaído que na prática traduz a nossa corrente visão pessimista. O exotismo é profundo, sentem-se traços de Kafka (bem, quaisquer referências a baratas e humanos em literatura orbitam à volta deste autor) com um worldbuilding que faz recordar China Miéville. Náo que o conto seja derivativo, bem pelo contrário, é uma obra que revela a voz própria do autor. Um fantástico surreal e bem humorado. Mas não se fiem nas minhas palavras, podem descobrir o conto aqui: Strange Horizons - Ootheca.


Sem comentários: