terça-feira, 24 de julho de 2018

Muglugs


One example is William Wallace Cook's Round Trip to the Year 2000, which ran serially from July to November 1903, and featured a revolt by mechanical robots called "muglugs." Sam Moskowitz speculates that if the novel had possessed more literary merit, we might today he referring to robots as "muglugs.” Fortunately, the world waited for Karel Capek's 1921 play, R.U.R. (Rossum's Universal Robots ), in which Capek took the word robot from the Czech word robota, which means involuntary service or work. 

Daqueles pormenores interessantes da história da FC. Se o conto de 1903 tivesse ganho aceitação, talvez não existisse a palavra robot para designar os robots. Se bem que muglug é uma palavra algo infeliz, daquelas que se engasga na língua. É de notar que antes da palavra robot se popularizar, já os conceitos de autómato e ser mecânico exisitiam. Por bem intencionada que seja a especulação de Moskowitz, provavelmente falaríamos de autómatos se o termo robot não tivesse capturado a imaginação da humanidade.

Dizer que se estuda muglugótica não é particurlmente elegante. Mas é essa elegância da FC:  podemos sempre especular como seriam as coisas se algum pormenor da evolução técnica e social humana tivesse sido um pouco diferente.

James Gunn (1975). Alternate Worlds: The Illustrated History of Science Fiction. New Jersey: Prentice-Hall.

Sem comentários: