quinta-feira, 26 de abril de 2018

Captain Harlock: Dimensional Voyage



Leiji Matsumoto, Kouichi Shimahoshi (2017). Captain Harlock: Dimensional Voyage Vol. 1. Los Angeles: Seven Seas.

Num futuro em que os habitantes da Terra parecem consumidos pela apatia e cobardia, num planeta tornado secundário pela fuga dos intrépidos e corajosos para os confins do sistema solar, e ameaçado pela invasão de alienígenas que reclamam o nosso planeta como seu segundo berço, só há uma força que tenta defender os terrestres. Uma força fora da lei, que não se dobra perante nenhum senhor ou governo, um pirata do espaço que, com uma indómita e excêntrica tripulação, é a única linha de defesa de um planeta cujos governantes o perseguem.

Este Captain Harlock é um misto do bom e do mau que o mangá tem. Se parte de uma premissa interessante, a história perde-se num estilo visual de personagens em pose hierática, longos cabelos fluídos, a debitar diálogos repetitivos. O lado de aventura de ficção científica perde-se por completo numa narrativa cansativa, feita de iconografias quase de telenovela, sem qualquer trabalho no envolvimento visual do mundo ficcional.

Sem comentários: