sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Rise of the Robots



Martin Ford (2015). Rise of the Robots: Technology and the Threat of a Jobless Future. Nova Iorque: Basic Books.

Este não é o tipo de livro a ler se quisermos ser optimistas quanto às tendências da computação, robótica e automação que estão já hoje a moldar a sociedade em que vivemos. Ford traça um quadro negro, onde a maior parte da humanidade é, em termos laborais, tornada redundante pelos progressos na robótica e automação. Tendências que se fazem já hoje sentir, que se vão aprofundar com a combinação entre progresso tecnológico e maior eficiência de produção. Estas forças colocam em perigo o consenso social em que vivemos, levando a tremendas redistribuições de riqueza que favorecem pequenos grupos (já hoje sentimos isso) em detrimento do bem estar geral. A tecnologia parece imparável, e pressões políticas ou sociais não serão suficientes para travar esta marcha de automatização progressiva da economia. As visões tradicionais de formação e educação também não são suficientes para garantir a prosperidade contínua face a estas tendências. Uma evolução que pode levar ao seu próprio colapso, porque ao retirar meios de subsistência da maioria da população a médio prazo priva-se as empresas dos fluxos financeiros que as mantém numa sociedade de consumo. Uma solução possível, na ótica do autor, seria o estabelecimento de regimes de rendimento incondicional garantido, financiado com os rendimentos trazidos pela eficiência económica da automação, com incentivos para ultrapassar esse patamar de rendimentos, permitindo garantir um nível de vida básico e os fluxos de dinheiro necessários para o funcionamento da economia.

Sem comentários: