terça-feira, 11 de julho de 2017

A Arte Suprema


Rui Zink, António Jorge Gonçalves (2007). A Arte Suprema. Lisboa: Asa.

A pobre Dona Idalina, prototípica mulher do povo, que ganha a vida como mulher a dias em várias casas de pessoas importantes mas gosta mesmo é de varrer o chão da escola de dança, porque a encantam os movimentos dos bailarinos, é envolvida nas intrigas de um político sem escrúpulos que se serve de pressões militares sobre Macau para garantir a sua eleição. Uma história com o habitual humor amargo de Zink, onde o traço de António Gonçalves segue o mesmo caminho, entre o expressionismo grotesco e a caricatura, com alguns desvios para experimentalismos gráficos de mixed media, visualmente os momentos mais interessantes deste romance gráfico.

Sem comentários: