segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Comics


Providence #11: Repararam? Não? Olhem com mais atenção. Um homem, no cerne da sua bibioteca, a ditar palavras a uma secretária que as transcreve? Já repararam?  Alan Moore está a encerrar a sua monumental e tétrica homenagem a Lovecraft, seguindo por caminhos inesperados. Se em toda a série seguiu o percurso de redescobrir os mythos como uma segunda realidade, neste penúltimo volume regressa ao real, e enquanto deixa morrer por suicídio o seu personagem principal (recuperando as casas da morte de Chambers nos contos de King in Yellow) vai-nos mostrado, vinheta a vinheta, o legado do escritor de Providence, desde Derleth e Bloch aos Cthulhuzinhos em peluche.

Pelo meio, esta vinheta. Já perceberam? Escritor argentino, legou-nos uma obra que colocou o fantástico no cânone literário. Marcante e fascinante, bibliófilo. Jorge Luis Borges, acompanhado por Maria Kodama.


Unfollow #14: Esta série toca em pontos curiosos. Instabilidades geográficas, sede narcisista de reconhecimento via meios digitais, o enorme poder dos algoritmos das redes sociais em analisar e categorizar indivíduos em padrões, manipulando as suas percepções através do controle de fluxos de informação.

Sem comentários: