segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Comics


2000 AD #2005: Pete Milligan soltou o seu lado cyberpunk na série Conterfeit Girl, onde uma rapariga que vive do roubo de identidades se tenta curar de um vírus apanhado numa das suas incorporações de identidade. Porque neste futuro distópico, roubar uma identidade é mais do que capturar dados e documentos, envolve também memórias e características de personalidade. Ou doenças geneticamente desenvolvidas. O traço da ilustração condiz com o cyber psicadelismo da história.


Prophet Earth War #06: Talvez a série de FC da Image que mais se inspira em Moebius, quer pelo estilismo quer pela visão de um futurismo surreal. A narrativa tem o seu quê de incompreensível, mas a ilustração enche o olho. E de que maneira.


Sheriff of Babylon #12: O final, inquietante, de uma série que se atreveu a mexer na memória contemporânea. Os primeiros tempos da ocupação americana do Iraque são retratados por Tom King, que correntemente é o argumentista da série principal de Batman. O que parece à partida uma história policial depressa se transforma numa parábola sobre nacionalismo, jogos de interesse e as consequências mais tenebrosas da guerra ao terrorismo.

Sem comentários: