sexta-feira, 1 de julho de 2016

Homem de Ferro: Extremis


Warren Ellis, et al (2012). Homem de Ferro: Extremis. Oeiras: Levoir.

Dos heróis Marvel, Homem de Ferro sempre me pareceu aquele mais interessante pela sua iconografia, celebradora da luxúria do deslumbramento pela tecnologia, do que pelas suas aventuras. A curiosa mistura de cavaleiro medieval com tecnologia futurista deste personagem permite algumas aventuras divertidas. Esta edição da Levoir reúne uma renovação do personagem sob a égide da frieza de Warren Ellis, e algumas aventuras de puro divertimento, que se notabilizam por trazer aos leitores portugueses o trabalho dos ilustradores nacionais que trabalham para a Marvel.

Extremis: Warren Ellis a reinventar o Homem de Ferro, centrando-se na dualidade de Tony Stark enquanto herói e construtor de armas letais, a enfrentar uma arma deixada à solta no terreno para convencer as autoridades da necessidade de desenvolver defesas avançadas. Sendo um argumento de Ellis, esperem níveis emocionais a roçar o autismo e deslumbre tecno-fetichista à solta.

Aceleradores Magnéticos, Gravatas de Poder e Homens de Titânio: Aventura a misturar acção com humor, com o Homem de Ferro a envolver-se (de várias formas, algumas nada violentas) com uma brilhante cientista da organização criminosa IMA.

Comboio da Morte: A eficaz assistente de Tony Stark revela-se um osso duro de roer, sobrevivendo com extremo prejuízo a uma tentativa de rapto. História que conta com ilustração do desenhador português Nuno Plati.

Chuva Pesada: Aventura pura, com o Homem de Ferro a combater um andróide de origem alienígena.

Hack: A armadura do herói quase sucumbe perante um hacker que, aproveitando uma reunião de colegas da universidade, decide vingar-se por se sentir sempre eclipsado pelo génio de Tony Stark.

Sem comentários: