quinta-feira, 21 de abril de 2016

Albion: Origins


Tom Tully, et al (2007). Albion: Origins. Londres: Titan Books.


Um aventureiro protegido pelo poder místico de uma antiga jóia pré-colombiana, em cujas aventuras se sucedem riscos mirabolantes para a vida e integridade física. Um génio da mecânica, que constrói marionetes com capacidades especiais e lhes dá voz como ventríloquo, ao serviço de uma agência de combate ao crime e espionagem. Um prestidigitador vitoriano, com a capacidade de esticar os seus ossos para lá dos limites ínfimos, que utiliza os seus poderes ao serviço de um ideal de justiça que nem sempre está do lado correcto da lei. E um poderoso ocultista, que com a sua biblioteca é o defensor do real contra as piores ameaças sobrenaturais.

Kelly's Eye, Dollman, Janus Stark e Cursitor Doom foram personagens clássicos da banda desenhada juvenil inglesa dos anos 60 e 70. Com uma breve ressurreição por Alan e Leah Moore em Albion, ou nalguns momentos mais nostálgicos de edições especiais da 2000AD, são aqui recuperados nas suas histórias originais. Com argumentos simplistas, mostram-nos personagens que hoje nos parecem bizarros. As aventuras exóticas de Kelly's Eye têm o seu quê de fardo do homem branco, Cursitor Doom é demasiado parecido com Aleister Crowley para ser coincidência, as imagens de um Janus a espremer-se nas fendas mais apertadas algo de muito creepy. Já todo o conceito de um génio da tecnologia que combate o crime com bonecos animados e lhes dá voz como ventríloquo merecia toda uma tese sobre distúrbios psicológicos. Como é habitual neste género de recuperações, são personagens cujas aventuras não envelheceram bem, mas este misto de bizarria e aventura garante-lhes um lugar na história da banda desenhada.

Sem comentários: