segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Comics


The Fade Out #12:  Um final amargo, apropriado para esta série onde Brubaker e Phillips regressam às suas origens de policial noir. O cruzamento entre Black Dahlia e Hollywood Confidential era assumido numa história sobre a corrupção inerente ao studio system, onde o desejo de estar sobre as luzes da ribalta ultrapassa quaisquer escrúpulos ou pudores.


Swamp Thing #01: Desde que Alan Moore transformou aquele que era um pouco interessante personagem de segunda linha num dos mais intrigantes e populares da DC Comics, que o Monstro do Pântano tem sofrido das mais arrojadas tranformações. A época de Moore foi lendária, e constantemente reinventada ao longo dos anos por diferentes argumentistas que perceberam o quão longe Moore soube levar o personagem. Com uma origem e mitografia tão revistas, como inovar o personagem? E que tal regressar às origens absolutas? A DC incumbiu o veterano Len Wein, criador original do Monstro do Pântano, de escrever uma nova série. O resultado é o que se espera. O argumentista não renega a história posterior da personagem, mas quer visualmente quer em termos narrativos este é o Monstro clássico que Wein criou. O regresso ao passado ficaria completo se tivesse sido Berni Wrightson a ilustrar, se bem que Kelly Jones não deixa de ter o seu quê de anos 80.

Não deixa de ser interessante ver a DC a recorrer à estratégia legacy acts, aquela que tem servido à indústria musical para manter lucros recorrendo às bandas antigas.

Sem comentários: