segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Comics


Batman Europa #03: É uma aventura convencional, uma bat-história igual a muitas outras. O que a distingue é a espectacularidade da ilustração, com o traço de Diego Latorre a dar vida expressiva a este grand tour de Batman e Joker pelas mais icónicas cidades europeias. Começaram em Praga, passaram por Paris (nas catacumbas, obrigatoriamente), e dirigem-se agora a Roma. Quais serão as próximas paragens?

Code Pru #01: Isto lê-se como a resposta cheia de humor negro de Garth Ennis ao lovecraftianismo tenebroso de Alan Moore em Providence. Grandes anciões aprisionados em asilos que adoram jogar monopólio, um grupo de amigas que pretende ser um coven de bruxas a invocar criaturas do além (uma das quais com um gosto adorável por godemichés de proporções exageradas), um psiquiatra habituado a tomar conta das tenebrosas criaturas do além espaço que alberga no seu asilo, e no meio disto tudo uma jovem estudante céptica que treina para ser paramédica e tem de aturar as colegas de casa com pretensões tétricas. A descrição da Avatar Press faz a coisa parecer mais convencional, com a jovem paramédica a entrar num mundo de vampiros, ghouls e outras criaturas da noite, mas este arranque é em tudo uma tremenda piada de humor negro com o terror lovecraftiano.


James Bond VARGR #03: Não me recordo dos filmes de Bond serem tão explicitamente violentos. Warren Ellis avisou-nos que o seu agente 007 seria mais próximo dos livros originais do que da estilização cinematográfica a que estamos habituados, e tem cumprido, com um dinâmico sentido de acção assente numa rigorosa planificação da prancha de banda desenhada e em enquadramentos certeiros.

Sem comentários: