terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Antologia Steampunk

 

Inês Montenegro, Ricardo Dias, Carina Portugal, Pedro Cipriano (2015). Antologia Steampunk. Fantasy & Co.

A Fantasy & Co. faz um trabalho muito bom como canal de publicação regular de autores ligados ao fantástico. Publicam regularmente no site, em episódios, e editam contos coligidos em antologias temáticas. Nem sempre os resultados são excelentes, mas a constância dos desafios temáticos obriga a uma publicação regular que se traduz numa contínua melhoria das capacidades literárias destes jovens autores, que não desistem do prazer de imaginar e escrever nos géneros que admiram.

Relógios e Bruxarias, Inês Montenegro: um misto de fantástico e clockpunk, onde os encantamentos se misturam com as engrenagens, numa história conspiratória que se lê como fragmento de algo maior.

A Ascensão e Queda de Zé Saltador, Ricardo Dias: um divertido conto cheio de acção, que imagina Springheeled Jack como um Arséne Lupin a dedicar-se aos assaltos com um fenonemal fato mecânico movido a vapor. Com Londres esgotada como terreno de caça, desce ao Porto para se ambientar à europa continental e preparar ambiciosas vagas de crime nas maiores capitais europeias. Mas a colisão com os miúdos de rua da Ribeira irá colocar um ponto final no seus planos.

A Mina de Carvão,  Carina Portugal: africanismo e steampunk cruzam-se neste ambicioso  conto, onde uma agente secreta britânica vai investigar os tenebrosos mistérios de uma mina moçambicana cujos operários são submetidos a horrendas experiências cibernéticas. Aventura imparável dentro da estética steampunk.

A Canção da Fornalha, Pedro Cipriano: a relação estreita entre um engenheiro-chefe e as maquinarias pelas quais é responsável, num bem conseguido texto que se sente mais como vinheta do que conto.

Sem comentários: