segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Comics


Clean Room #01: Um belíssimo exemplo do melhor do terror numa única vinheta. Depois de criar suspense e dar vislumbres de monstruosidades, vira-se a página e deparamos com uma prancha negra. Que seja a imaginação do leitor a construir o terror. É uma técnica que ultimamente, mercê do gosto dos ilustradores e modeladores 3D em criar intricadas criaturas de horror, anda arredada do terror na banda desenhada e cinema. Visões fantásticas, que deixam para segundo plano impacto do suspense.


Karnak #01: Warren Ellis tem andado a queixar-se no Orbital Operations de como este personagem amoral e desumano lhe anda a entrar na cabeça. Nota-se. Ellis tirou o pó às filosofias solipsistas com uma náusea humanista que deixaria Sartre deprimido. Já na construção formal da narrativa, o argumentista usa a mesma técnica cinematográfica que aprimorou em Moon Knight. Cada vinheta vê-se como um enquadramento de câmara, funcionando como cenas em sequência fílmica de ritmo marcante.


The Steam Man #01: Os conhecedores dos primórdios da ficção científica não são alheios a The Steam-Man of the Prairies, uma edisonade de Edward Ellis, escritor popular do século XIX. O desafio de recriar o personagem foi entregue a Joe R. Lansdale, que o revê em linhas de terror grimdark. O argumentista caminha numa linha sinuosa entre terror visceral e fantástico juvenil enquanto coloca em jogo as peças da narrativa. Ainda não percebi se foi bem sucedido ou não.

Sem comentários: