sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Carnacki The Ghost Finder


William Hope Hodgson (1947). Carnacki The Ghost Finder. Sauk City: Mycroft & Moran.

O aspecto mais intrigante de Thomas Carnacki, personagem criada no princípio do século XX por William Hope Hodgson, é a forma como tenta misturar a ciência com o sobrenatural. Protótipo das personagens de investigador do sobrenatural, aproxima-se dos mistérios que é contactado para desvendar com um arsenal que inclui um sólido conhecimento da sabedoria oculta dos manuscritos secretos, máquinas fotográficas e alguns utensílios que misturam a simbologia ocultista com a tecnologia de topo da épica. Destes, o mais notável é o seu pentáculo eléctrico, dispositivo que o protege das forças maldosas do além nalguns dos mais tenebrosos mistérios que investiga.

Vale a pena, para os conhecedores da literatura fantástica, ficar a conhecer as aventuras deste algo esquecido personagem. É uma referência histórica e literária, na linha directa de personagens como os modernos Harry Dresden, Sandman Slim ou tantos outros investigadores e combatentes do sobrenatural, cujas aventuras episódicas os levam a enfrentar as mais variadas ameaças.

Carnacki tem um fortíssimo cunho de época, claramente derivado de Sherlock Holmes de Conan Doyle ou John Silence de Algernon Blackwood. Lemos as suas aventuras a posteriori, calmamente narradas a um selecto grupo de amigos solteirões no final de tranquilos jantares. Nalgumas, o sobrenatural impera. Noutras, há explicações plausíveis para os factos misteriosos. É a combinação de poder dedutivo com ferramentas tecnológicas que lhe permite desvendar os mistérios.

Já a prosa de Hogdson é aqui terrivelmente datada. A estrutura rígida das aventuras, a forma desapaixonada como as descreve, o excesso de descrições e raciocínios dedutivos tornam esta uma leitura penosa. As aventuras deste personagem não são muito interessantes. Não surpreende que vá caindo em esquecimento, desempoeirado apenas pelos leitores que querem ficar a conhecer melhor a história da literatura de terror. Fica como personagem icónica, influente e citada em obras revivalistas (descobri-o nas inúmeras referências literárias de Alan Moore em League of Extraordinary Gentleman), daquelas que conhecemos a iconografia mas não o conteúdo literário original.

As aventuras completas de Carnacki estão disponíveis gratuitamente no Projecto Gutenberg e no eBooks@Adelaide. Neste segundo repositório encontra-se a edição mais completa, contendo as seis histórias originais publicadas na revista The Idler, uma revisão e três contos dispersos noutras publicações. Esta publicação online da edição de 1947, organizada por August Derleth, é possível graças a diferenças de legislação sobre propriedade intelectual.

The Gateway of the Monster: Um quarto assombrado é investigado por Carnacki, que revela aqui a sua mistura de magia com ciência protegendo-se com pentáculos electrificados ao passar uma noite aterrorizante. Nela descobre o motivo da assombração, encerrado num artefacto amaldiçoado perdido que abre uma porta para outros mundos.

The House Among the Laurels: Terríveis acontecimentos assombram um castelo irlandês abandonado. Quando o herdeiro regressa e decide tomar conta do edifício elas aumentam de intensidade, aterrorizando os homens mais duros da região. Depois de uma noite assustadora em que Carnacki e os seus ajudantes, duros polícias irlandeses, crêem mal sobreviver às assombrações, o detective do sobrenatural percebe que afinal não há fantasmas nem maldições. Tratam-se de criminosos locais, que alimentam a lenda do castelo assombrado para terem um local propício e isolado para se dedicarem aos seus negócios obscuros.

The Whistling Room: No passado distante o bobo da corte de um pequeno rei irlandês é punido exemplarmente pelo rei rival, ofendido de morte por uma cançoneta que dele faz pouco. Séculos depois, um arrepiante assobio faz-se ouvir num salão de um solar senhorial que cresceu à volta do antigo castelo. Um horror arrepiante, que quase derrota o fleumático Carnacki.

The Horse of the Invisible: Uma jovem adolescente é atormentada pelo que parece ser uma maldição com cavalos fantasmagóricos. Depois de algumas noites arrepiantes Carnacki apercebe-se que não há forças sobrenaturais envolvidas, apenas os actos psicóticos de um empregado da família apaixonado pela jovem rapariga que, na impossibilidade de a ter, recorre a lendas sobre uma maldição antiga para levar a família à loucura.

The Searcher of the End House: Que estranhos horrores sacodem a casa onde Carnacki vive com a sua mãe? Conta-se que será uma mulher-fantasma, mas após investigar o intrépido investigador descobre que afinal a assombração é o anterior inquilino, homem dedicado aos contrabandos que usa a casa pela sua acessibilidade aos túneis que lhe permitem fugir aos olhos atentos da autoridade. Mesmo assim, algo de misterioso resta, com Carnacki a não saber o que pensar de uma criança azul que percorre os salões à noite.

The Thing Invisible: A capela de um presbitério inglês é palco de estranhas mortes. Á noite, visitantes correm o risco de ser atingidos por um punhal disparado de forma sobrenatural. Ou talvez não. Carnacki investiga e descobre um mecanismo arcaico que dispara o malfadado punhal, armado diariamente pelo presbítero que, com sanidade mental duvidosa após a morte da esposa, tem tendência a esquecer-se de desarmar a armadilha, provocando a morte de alguns servos incautos.

The Hog: Desta vez o perigo sobrenatural é bem real, com Carnacki a tratar do estranho caso do paciente de um médico seu amigo. Sensível às influências ocultas, canaliza o espírito de terríveis suínos que se ocultam para lá da nossa percepção.

The Haunted "Jarvee": Um navio assombrado é o palco das experiências entre o científico e o arcano de Carnacki. Percebendo que não há redenção possível, uma vez que o artefacto náutico é um ponto focal de forças para além da nossa compreensão, mais vale que o navio pertencente a um amigo fique no fundo do Atlântico. Fica-se na dúvida de qual é a vantagem de se ser amigo do investigador.

The Find: Para terminar a antologia, Carnacki mostra-se tão perspicaz como Sherlock Holmes ao resolver um caso misterioso. Quando aparece do nada uma cópia exacta de um livro único, do qual só foi impresso um exemplar, os estudiosos parecem inclinados a aceitar que houve, de facto, uma segunda impressão da obra. Mas o investigador, com algumas deduções certeiras, mostra que afinal tudo não passa de uma elaborada tentativa de fraude.

Sem comentários: