quarta-feira, 6 de maio de 2015

O Livro do Mr. Natural


Robert Crumb (2015). O Livro do Mr. Natural. Oeiras: Levoir.

Devo confessar que da excelente colecção da Levoir este é o livro que menos me desperta a atenção. Faz todo o sentido que faça parte desta colecção. Crumb é um dos incontornáveis do comic underground e Mr. Natural uma obra muito representativa do que foi este género nos anos 60 e 70. É esse o ponto de interesse da obra, e é também aí que a obra perde interesse. As desventuras histriónicas do guru burlão precisam da sua contemporaneidade para ser entendidas. É um dos grandes pontos fracos do humor. Raramente mantém a piada com o passar do tempo. Desvanecem-se os contextos que dão piada às piadas.

Datado, requerendo algum conhecimento histórico para ser compreendido, mas não deixa de ser um belíssimo mostruário do grafismo de Crumb, relíquia iconográfica da contra-cultura. É aí que se justifica a inclusão nesta colecção. Talvez trabalhos como Genesis ou as suas histórias sobre a história do Blues sejam mais intemporais, mas Mr. Natural é o retrato certeiro de uma cultura muito específica da segunda metade do século XX. Suponho que em termos de acessibilidade editorial seja mais fácil traduzir a relativamente recente edição da Fantagraphics (de 2010, creio) do que ir buscar trabalhos menos conhecidos do grande público.

Por falar em contra-cultura, adorei o prefácio cujo autor inicia o texto rejeitando veementemente o estatuto de Crumb como alto expoente do comic underground para acabar concluindo que Crumb é um alto expoente da banda desenhada contra-cultural. Pois. Também fiquei com essa sensação quando li o prefácio. Devo dizer que simpatizei com o esforço, naquela perspectiva de quebrar espartilhos de género, mas que Crumb é um autor underground é algo difícil de invalidar.

Sem comentários: