segunda-feira, 23 de março de 2015

Comics


Chrononauts #01: Tenho uma relação conflituosa com os argumentos de Mark Millar. É um excelente argumentista, capaz de contar histórias cheias de acção mas com boas ideias que se perdem na procura de algo fácil com aproveitamento para outros media. Foi o que aconteceu com Kickass Kingsmen, criados a pensar directamente no cinema. E este Chrononauts vai pelo mesmo caminho. Diria que o que sai da cabeça deste argumentista é banda desenhada a metro no seu melhor. Divertida, mas a metro, e cuja leitura me deixa sempre com uma curiosa sensação de repulsa. Porque se percebe que aquilo que se lê é pensado para maximizar o lucro e não para explorar uma ideia. Infelizmente, Millar parte sempre de premissas interessantes que obrigam à curiosiade. Nesta nova série a mistura será de acção com viagens no tempo, e se dúvidas há que a história é estereotípica, atentem nos queixos dos másculos personagens. Quadrados. Como os clássicos heróis da ficção pulp.


Divinity #02: Um excelente exemplo de como dar cabo de um comic promissor com um simples virar de página. A ideia base de Divinity é fascinante. Um cosmonauta negro, isolado na União Soviética e enviado para o espaço profundo, que regressa após décadas de imersão em estranhas correntes estelares como algo mais do que o que era quando partiu. Conceito muito intrigante que prometia ser um excelente comic de ficção científica. Até virar uma página e deparar com o plantel de super-heróis da Valiant pronto para tentar exterminar com extremo prejuízo este cosmonauta divino. De uma vinheta para a outra passa de narrativa promissora a banal história de super-heróis. Que desapontamento.


Frankenstein Underground #01: É sempre de saudar ter Mignola a escrever um novo comic (e se estivesse a desenhar ainda mais seria), mas bolas, pobre criatura de Frankenstein, tão usada e abusada em comics, livros e filmes. Desta vez descobre-se nas profundezas mexicanas, algures num templo maia, caçada pelas criaturas demoníacas escravizadas por um alquimista do século XV que quer esta criatura do seu futuro para juntar ao seu gabinete de curiosidades.


The Manhattan Projects The Sun Beyond The Stars #01: Está de regresso a série mais weird dos comics contemporâneos, desta vez com um toque space opera. A dupla Hickman e Pitarra prometem agora espalhar o surrealismo conceptual do universo ficcional da série pela galáxia. Para trás fica a Terra com um Oppenheimer que contém multidões dentro de si, o biónico Von Braun ou os gémeos Einstein. Agora acompanharemos as gloriosas aventuras de Gagarin e Laika por entre as singulares criaturas que habitam vastos impérios galácticos. E se Hickman mantém elevado o tom weird, a ilustração não lhe fica nada atrás.

Sem comentários: