quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Aces High


George Evans (2014). Aces High. Seattle: Fantagraphics.

George Evans pertence aos melhores daquela geração de ilustradores clássicos da Golden Age que ajudou a definir o estilo gráfico da época pré-comics code. Grafista para toda a obra, especializou-se nas histórias de horror, crime, suspense, desporto mas distinguiu-se ao ilustrar histórias de combate aéreo na I guerra. Aces High colige um pouco de tudo. Confesso, descaradamente, que nem me dei ao trabalho de ler as histórias que Evans ilustrou de true crime, terror ou suspense. Sabia ao que ia e ao que me interessava: o seu excelso trabalho a retratar as fabulosas máquinas voadoras da I guerra, algo que fazia com um traço preciso, meticuloso mas ao mesmo tempo capaz de captar o dinamismo do voo. As histórias em si são hinos algo patrióticos à coragem de pilotos, exaltações simplistas de valores militaristas datadas e bastante desinteressantes. Sâo as ilustrações que fazem valer a pena revisitar estas histórias, originalmente publicada na revista Aces High. Ex-mecânico aeronaútico nos tempos em que ingressou no exército americano, Evans era um apaixonado da aeronáutica clássica e isso nota-se na forma como recria no estrito espaço da vinheta a poesia visual modernista dos engenhos de metal, madeira e tecido que afrontavam os ares.

Sem comentários: