segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Not Sci-Fi


Sabemos que neste momento os gostos do público estão mais com a fantasia do que com a ficção científica, mas também não é preciso cair nestes exageros. Abrir a mais recente Sci-Fi Now é um exercício de espanto em como uma publicação nominalmente dedicada à ficção científica tem jornalistas incapazes de distinguir naves espaciais de varinhas mágicas ou espadas. Primeiro temos um artigo dedicado aos messias da FC, aos personagens messiânicos do cinema e literatura. Entre os suspeitos do costume, como Paul Atreides (Dune) e Neo (The Matrix) encontramos... Harry Potter. Sim. Harry Potter como personagem messiânica de ficção científica. O problema óbvio para quem tenha dois palmos de testa e um mínimo de conhecimentos sobre as vertentes do fantástico é que magia e feitiçaria não são especulações tecno-científicas. Uma varinha mágica não é uma tecnologia. Encantamentos e criaturas do além não se enquadram no que se considera FC. Claro que as coisas não são estanques, e deve haver por aí algum romance de FC em que o sobrenatural justifica a tecnologia avançada para manter populaças ignorantes submissas. Não é o caso de Harry Potter, que claramente não é ficção científica.


Não contentes com a primeira calinada, ainda nos legam esta pérola de declaração proferida por um autor de fantasia. Daqueles que tornam difícil não desconsiderar os autores de fantasia como criaturas que sofrem de danos cerebrais. Não são, bem sei, há-os bons e inteligentes. Suspeito que não seja o caso deste que acha de Game of Thrones tem a ver com ficção científica. Como não descortino naves espaciais ou tecnologias pós-idade do ferro quer nos livros quer na sérite televisiva, a sapiência desta afirmação escapa-me. Por muito abrangente que seja a nossa definição de ficção especulativa, as convulutas conspirações em espaços medievalistas com dragões não cabem lá.

O que surpreende é haver toda uma equipe de jornalistas e colaboradores, alguns presumivelmente entendidos na matéria, a deixar escapar estas pérolas. A SciFi Now mistura FC com horror e fantasia, mas isto é levar o desvanecer de fronteiras um pouco longe demais. Estas pérolas são facepalm instantâneo.

3 comentários:

OCTÁVIO DOS SANTOS disse...

Na 11ª linha: está «ingorantes» em vez de «ignorantes».

Quanto à presença de Harry Potter, com os seus feitiços e a sua varinha mágica, entre os «messias da FC», talvez os autores do artigo estivessem a lembrar-se daquela «máxima» de Arthur C. Clarke: «Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível da magia». ;-)

artur coelho disse...

bem visto. devo estar a desenvolver dislexia regressiva... a frase clássica do Clarke também me passou pela cabeça, mas não, é mesmo aquela atitude de jornalismo pop que mete tudo no mesmo saco e mastiga vezes sem conta as mesmíssimas coisas.

OCTÁVIO DOS SANTOS disse...

Ainda está «ingorantes»...