sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Ficções

Época Alta: Com o inverno a chegar ao hemisfério norte o boneco de neve mor distribui aos seus subordinados os destinos onde irão alegrar os invernos frios. Um dos bonecos terá de ir invernar ao Sahara, o que não augura nada de bom. Deliciosa curta escrita por André Oliveira e encantadoramente ilustrada por Sónia Oliveira.

The Story of Dolores Jane Umbridge: É inescapável, mesmo para quem não é fã assumido da série Harry Potter. Algo que não, não sou, li alguns dos livros para ficar a conhecer a série mas achei aquilo tão formal e deslavado que penso que até já os doei à biblioteca da escola. Mas não deixo de perceber o apelo da obra, a sua importância como instigadora da leitura nas crianças e jovens, e nunca esquecerei o simpático avô suíço de uma aluna que tive em Mafra que veio falar comigo para iniciar uma queixa formal contra a professora de português da turma por esta utilizar excertos destes livros nas aulas. O homem era evangélico e insurgia-se contra o incentivo à bruxaria e coisas negras trazidas pelo incauto aprendiz de feiticeiro, algo aparentemente verboten para os evangélicos. A menina, confesso agora que já se passaram uns anos, aproveitava a minha desleixada supervisão da vontadade do avô no domínio da educação religiosa para ler fielmente as W.I.T.C.H.. Já o avô caracterizava-se por ser muito simpático, culto, e ser o único encarregado de educação que aguardava na sala de espera com um livro na mão. Geralmente sobre criacionismo ou intelligent design. Tivemos excelentes conversas, como ateu tolerante que sou e director de turma com a obrigação de equilibrar as agruras da vida escolar com a vontade dos encarregados de educação. Mas bolas, sempre que falava com o homem tinha de fazer um esforço mental para não me começar a rir com as tretas religiosas encadernadas que trazia debaixo do braço. Ah, pois, o conto da J.K. Rowling. A curiosidade nestas alturas fala sempre mais alto e a obra da autora não se caracteriza como profunda e de difícil leitura. Por isso, why not give it a go? É um divertido perfil de uma vilã da série. Os fieis seguidores de Potter em todas as suas manifestações transmedia devem ter ficado contentes com esta prenda de Halloween.

Eternal Horizon: O simpático e delicado surrealismo absurdista de Rhys Hughes está à solta neste conto sobre náufragos apaixonados por deusas adoradas em ilhas perdidas do oceano índico que partem em aventura para salvar o mundo dos perigos provocados por uma segunda linha de horizonte, que acaba por se revelar um horizonte marciano que, na ausência de oceanos em Marte, veio à Terra dar um mergulho. Parte do romance A Sereia de Curitiba, divertida private joke de Hughes com os seus fãs portugueses, surge como conto representativo do autor na Lightspeed Magazine.

Sem comentários: