segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Comics


Batman #36: Era muito estranho a DC manter morto um dos mais icónicos super-vilões da continuidade de Batman. Scott Snyder anda a revitalizar o homem-morcego para uma nova geração e depois de um alucinante arco generativo, com The Riddler a mostrar-se o super-vilão que nunca foi com outros argumentistas, ressuscita agora o Joker, que teve o atrevimento de matar antes de redefinir Batman. Este i've got better do super-vilão foi o toque final num Batman modernizado e rejuvenescido, mais violento e visceral, que mantém a estrutura de sempre mas se actualiza face à época e às encarnações transmedia do personagem. Este  Year Zero e sequelas, que faz largas vénias a Year One, um dos momentos marcantes de Frank Miller, ficará como um bom momento no historial de um personagem clássico.


Deep State #01: Nova série da Boom! Studios, com o seu quê de X-Files nas aventuras de dois agentes de uma organização governamental ultra-secreta encarregues de manter em segredo os segredos mais secretos. Sim, repeti-me, mas não digam a ninguém, mantenhamos isto em segredo. O primeiro grande segredo tem a ver com as viagens à lua. Parece que Neil Armstrong não foi o primeiro americano na lua. Antes foram lá duas missões, limpar algo descoberto pelo primeiro cosmonauta a pisar solo lunar. Décadas depois, esse algo consegue reparar a decrépita nave soviética e desce à Terra. Fiquei intrigado. Não resisto a estas premissas de teoria da conspiração e astronautica retro.


Dark Ages #04: Termina esta série bem contada por Abnett e Culbard sobre mercenários medievais apanhados nos resquícios de uma guerra interestelar entre robots inteligentes e bio-engenheiros genéticos. Curta e divertida, valeu pela ideia de misturar inteligência artificial com nanomáquinas e manipuladores de biologia num ambiente medieval.

Sem comentários: