segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Primeiro, as más notícias?

A boa notícia é que o escritor galês Rhys Hughes, praticante de um fantástico borgesiano de divertida ironia absurdista, será o convidado da edição deste ano do Fórum Fantástico. No meu caso, boa desculpa para pedir autógrafos naqueles livros que encontrei nas preciosas bancas da Livraria Snob em Guimarães.

A má notícia é que o João Campos decidiu colocar um ponto final naquele que era de longe o melhor blog sobre ficção científica escrito em português. Para trás deixa um invejável corpus crítico sobre livros clássicos, cinema e jogos. E deixa também um enorme vazio, porque uma das coisas que o distinguia era ser algo mais do que um blog de fanboy sobre a FC. No Viagem a Andrómeda podíamos encontrar crítica aprofundada mas também informações sobre a comunidade local e global. Como o autor explica, mantê-lo com a disciplina da publicação regular requereu um enorme esforço e sente que neste momento está na hora de chegar ao fim. Mas deixa em aberto um regresso sob outro formato, mais flexível. E espero bem que sim. Numa blogoesfera literária dominada pelas sinopses retiradas das capas em artigos opinativos que raramente vão além do gostei/não gostei, essencialmente sobre fantasia, fazem falta vozes que se interessam pelo aprofundar da leitura como a do João. Isso, e o lado informativo, outra das grandes valências deste blog que ontem chegou ao fim. Pessoalmente só posso desejar ao João Campos sucesso nos seus projectos e um regresso rápido com novo formato mas a mesma qualidade.

Já nem vou resmungar pelo facto de com esta baixa os blogs sobre FC em português se terem reduzido a quase nenhuns...

3 comentários:

Ricardo Lourenço disse...

Falo por mim: manter um nível aceitável de actualizações, incluindo críticas mais aprofundadas, dá imenso trabalho e torna-se difícil de conjugar com a vida profissional (já para não falar de outros interesses/projectos pessoais).
O facto de ser uma actividade não remunerada também não ajuda.

artur coelho disse...

e faço minhas as tuas palavras. o problema está precisamente na crítica aprofundada, que requer tempo para pensar. e no caso do joão o nível era intencionalmente elevado.

Ricardo Lourenço disse...

Acho que só ponderava voltar a escrever críticas se não tivesse trabalho a tempo inteiro. Neste momento já me basta o Projecto Adamastor e a leitura e escrita de ficção.