sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Fortunately, The Milk


Neil Gaiman, Skottie Young (2013). Fortunately, The Milk. Nova Iorque: Harper Collins.

Felizmente, o leite salvou o dia. Um pai algo distraído encarregue de tomar conta dos filhos durante uma ausência da mulher vê-se obrigado a sair de casa para ir comprar leite para o pequeno almoço. Sai, e demora a chegar. Quando regressa traz consigo uma história de aventuras mirabolantes que envolve invasores alienígenas com propensão para mau gosto decorativo, dinossauros exploradores do universo na sua máquina do tempo, selvagens adoradores de um vulcão entediado, vampiros com séria alergia à luz solar e a polícia universal dos dinossauros que deixaram a terra antes do impacto dos asteróides. Felizmente, havia leite, e a garrafa de leite é o elemento chave que salva a Terra e o universo.

Gaiman é daqueles escritores dos quais se sabe o que esperar da sua obra. E nunca nos desilude, talvez porque não passa as fronteiras que estabeleceu, mas essencialmente porque tem o raro dom do saber contar histórias com elegância linguística. Não é tanto o seu mundo de fantasia que cativa, mas a forma como as palavras rolam na mente do leitor. Neste livro infantil o seu lado divertido está bem acompanhado pelas excêntricas ilustrações de Skottie Young.

Sem comentários: