segunda-feira, 5 de maio de 2014

Comics


Judge Dredd Mega City Two #04: Há que admirar o tom de catastrofismo pop-cultural desta série. O velho stoney face é transplantado para a mega-cidade californiana, fragmentada por terramotos e tsunamis, o completo oposto de Mega City One. Cheia de sol e luz, onde o bizarro é o normal e o entretenimento impera. O argumentista Douglas Wolk diverte-se a construir um futuro pós-apocalíptico que se pode caracterizar como algo pensado por Baudrillard se este fosse romancista e não filósofo, e o espectacular trabalho de ilustração de Ulisses Farinas não lhe fica atrás, desenvolvendo plenamente a disfuncionalidade futurista num grande à-vontade de estilos que vão do cartoon ao hiperdetalhe. Quase apetece dizer que fomos convidados a ler uma apoteose da sociedade do espectáculo.


Doc Savage #05: Chris Roberson mistura Moonraker com lendas urbanas sobre a exploração espacial nazi neste episódio de aventura no espaço com sabor a filme de aventuras de espionagem dos anos 60 ou 70. Que é o tom que Roberson tem imprimido a esta sua reconstrurução do eterno übermensch pulp. Desta vez temos raios da morte lançados de satélites nazis capturados por um culto de niilistas que, inspirado num mau romance de FC sobre mundos paralelos, acredita no suicídio como forma de transpor as barreiras entre dimensões e chegar a realidades paralelas.


Silver Surfer #02: O estilo gráfico inconfundível de Chris Allred dá uma dimensão retro ao que seria mais uma infinda variante do mesmo de sempre. São os ingredientes de sempre. Surfista Prateado no espaço a combater ameaças cósmicas; intrigantes civilizações alienígenas cheias de mistérios e segundas ou terceiras intenções; frágil terráquea a ter de ser salva pelo herói; muitas vinhetas cheias de paisagens cósmicas. O grafismo e utilização de uma linguagem visual e estilística de outros tempos de Allred, com a sua mistura de inocência e cor pura pop, dá o merecido destaque a este interessante comic da Marvel.


Über #12: Bolas, que irritante! Depois de virar a mesa na edição anterior Gillen tem a distinta lata de nos manter em suspense com o que irá acontecer na série. Em vez de nos mostrar o que quer fazer com uma II Guerra Mundial com os seus principais líderes decapitados, centra-se na história da espia-cientista britânica que conseguiu roubar o segredo químico-biológico dos super-soldados e trabalha com os Aliados no desenvolvimento de super-carne para canhão, já que nada parece travar as criaturas originais. Temos direito a uma visita de um sensato Alan Turing no que é essencialmente um aprofundar do mundo ficcional da série. Mas bolas, ficar a saber o que se vai passar vai mesmo ter de aguardar.

Sem comentários: