segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

FC e F portuguesa

Partiu como um desafio sem o saber do Luís Filipe Silva, quando no Fórum Fantástico deste ano ao conversar de raspão sobre as escolhas literárias do ano, que no meu caso andavam pelas ficções fantásticas francesa, italiana e japonesa. Então e portugueses? Encolhi os ombros. Pois, não tinha. Torna-se um pouco absurdo andar a fugir à prevalência anglo-americana, descobrindo as ricas tradições de literatura fantástica europeia e mundial, e não olhar para o que se vai fazendo por cá. Que pode ser pouco, nem sempre com a melhor das qualidades, mas representa um esforço de indivíduos decididos a manter viva a chama dos voos literários de imaginação pura num nicho cultural de dimensões muito reduzidas. Podemos entrar em muitas discussões sobre o declínio/não declínio da FC e fantasia em Portugal, mas se não apoiarmos quem se atreve a produzir e colocar cá fora obras literárias dentro destes géneros de que tanto gostamos a tarefa de construir por cá uma base sólida de desenvolvimento torna-se mais difícil. Esse apoio traduz-se em ler, divulgar e criticar de forma isenta e construtiva, elogiando sucessos, apontado eventuais falhas e sugerindo melhorias. Como fã destes géneros sinto que é quase uma obrigação prestar atenção ao que se faz por cá. Por isso o foco deste blog vai olhar com mais atenção para a Ficção Científica e Fantasia escritas por autores portugueses, com muita atenção às novas vozes e revisitando os clássicos. E também um pouquinho de coisas brasileiras que vão irrompendo pela internet fora. Tudo arquivado na etiqueta FC e F Portuguesa, que identificará estas leituras.

Isto não é resolução de ano novo, até porque quem estiver mais atento a este espaço já percebeu que de há poucos meses para cá se tem prestado atenção à nossa literatura de género. Também não é um manifesto ou declaração de intenções. Não tenho muito por hábito declarar à partida intenções grandiosas que depois, pelas usuais razões de sobrecarga de projectos, acabam por ficar a meio gás. Isto é para se ir fazendo, à medida das leituras que se vão encontrando.

5 comentários:

João Campos disse...

Dá-lhe, camarada.

Também quero ver se finalmente leio e dou algum destaque aos contos portugueses publicados nas fanzines de 2012 e 2013. As leituras digitais ainda não chegaram aos meus lados (e duvido que venham a chegar em 2014), pelo que terei de me limitar a essas.

Bom. E já que aqui estou, bom Ano Novo!

artur coelho disse...

confesso que já andava há uns tempos a sentir uma pontinha de remorsos. esgravato recantos obscuros à caça de fumettis semi-legíveis e peso os méritos relativos de perry rhodan face a doctor who. então e o que se faz por cá? já sei que irei apanhar muita coisa, umas boas, outras más e outras assim assim...

João Campos disse...

Isso dos remorsos, nesta matéria, por acaso é coisa que não me assiste, como dizia o outro. A vida é muito curta, e há muita coisa para ler.

Fyredrake disse...

Eu sou uma das aspirantes a publicação. Fã de FC, Fantasia e Fantástico criei um blog há algumas semanas para divulgar algumas das minhas criações. Dava-me jeito algum feed-back, conselhos e criticas construtivas.

artur coelho disse...

anotado. vou adicionar ao radar.