terça-feira, 10 de dezembro de 2013

BD: Le Pilote à l'Edelweiss: T01 Valentine; T02 Sidonie.


Yann, Roman Hugault (2012). Le Pilote à l'Edelweiss T01: Valentine. Genebra: Paquet.

A editora suiça Paquet tem uma colecção dedicada ao fãs de aviação que se distingue pela qualidade das ilustrações. Os argumentos são o que se pode esperar do género - histórias de aventura no ar com alguns momentos convolutos onde elementos do passado colidem nas motivações da lutas do presente. Nada de novo por aqui, mas o que deslumbra é a qualidade visual da ilustração que, pormenor importante para os fãs de aviação, representa meticulosamente aeronaves de época, as verdadeiras estrelas deste género de banda desenhada.

Le Pilote à l'Edelweiss não é excepção à regra. A história centra-se em dois irmãos gémeos, um combatente numa unidade de tanques e outro piloto numa esquadrilha de combate. Este último enfrenta nos ares um fantasma do passado através de constante duelos com um piloto alemão conhecido entre os combatentes como aviador da edelweiss pelo símbolo pintado na fuselagem do seu caça. Indistinguíveis, os irmãos trocam de lugar para o derradeiro combate. Cada livro é dedicado a uma das mulheres do passado dos irmãos que despoleta os eventos que os marcam no presente.

Fiel ao espírito da editora, é o estilo gráfico do ilustrador Roman Hugault que dá o brilho a esta série. Hugault faz explodir as vinhetas com esplendorosas cenas aéreas, com um traço preciso e meticuloso que revela um enorme trabalho de reconstituição fiel das aeronaves das épocas abordadas nos álbuns que ilustra.


Yann, Roman Hugault (2012). Le Pilote à l'Edelweiss T02: Sidonie. Genebra: Paquet.

Após os eventos do primeiro episódio, centrado no desafio de duelo com o piloto alemão que ostenta como símbolo a flor edelweiss e o passado com Valentine, mulher de um dos gémeos, somos levados novamente aos céus sobre as trincheiras da Flandres. Desta vez o duelo irá ocorrer, mas para isso os irmãos têm de trocar de lugar. O piloto irá tomar conta do tanque do irmão, que depressa toma o seu lugar na esquadrilha de combate. De caminho descobrimos o segredo que domina o percurso dos irmãos. No princípio da guerra os dois levam para os ares Sidonie, uma jovem desejosa de experimentar os prazeres do voo (e sim, leiam isto num sentido abrangente) mas um fortuito caça alemão abate-os, destruindo o avião que utilizaram sem autorização e matando a jovem. Um dos irmãos assume a responsabilidade pelo sucedido, protegendo o outro que se sente com uma dívida difícil de recompensar.

Novamente é o traço de Hugault que dá vida e genialidade a este álbum. As histórias têm a sua piada mas o que realmente deslumbra é o trabalho do ilustrador no representar daquelas aeronaves que fizeram história.

Sem comentários: