quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Dr. Who: Made of Steel; Code of the Krillitanes


Terrance Dicks (2007). Dr. Who: Made of Steel. Londres: BBC Books.

Uma leitura simples e directa, que é o que esta colecção de romances curtos do inefável Dr. Who promete. Desta vez temos um potencial ressurgir epidémico de Cyberman, com modelos esquecidos após uma invasão onde os humanos prevaleceram a acordar e tentar resgatar os companheiros robóticos enclausurados para lá de um buraco negro. Um punhado de modelos obsoletos de Cymbermen parece imparável pelas armas terrestres, mas com uma ajuda inteligente do Doutor a coisa resolve-se. Simples, sem complicações. Ler livros desta série é como ver um episódio televisivo que se desenrola nos ecrãs da mente.


Justin Richards (2010). Doctor Who: Code of the Krillitanes. Londres: BBC Books.

Na sua eterna e inefável busca de solução para a aleatoridade genética que correntemente os transformou numa espécie de morcegos saurópodes, os Krillitanes contaminam batatas-fritas com óleo de fritura onde o principal ingrediente são os seus chips de memória. O disparo no quociente de inteligência resultante é medido num website que através de jogos complexos coloca os utilizadores a resolver problemas científicos. Controlando a humanidade pelos cérebros e estômagos, os Krillitanes quase conseguem gerar a próxima geração de alienígenas com adn modificado. No entanto, o inefável Doutor infiltra-se e com ajuda de um pouco engenhoso engenheiro informático consegue travar a ameaça alienígena no momento do previsível triunfo. Leve, divertido, com ênfase nas idiosincrasias do Doutor e cheio de bom humor. A ligação é directa para o episódio da série em que os Krillitanes infiltram uma escola e são derrotados por companheiras do Doutor, amigos e o velho cão-robot K-9.

Sem comentários: