sábado, 20 de julho de 2013

Ficções

Beyond The Coming Age Of Networked Matter: A culpa, suponho, foi daquele membro do Institute For The Future que se lembrou e que tal convidar o Bruce Sterling a escrever uma ficção especulativa sobre o futuro hiperconectado em rede. O resultado é um conto em que Sterling se diverte com a sua posição de guru da era digital, orador privilegiado no SXSW e milhentas outras conferências onde hipsters e g33ks se reúnem para trocar discursos iluminados sobre o futurismo no admirável mundo novo digital. Especulação informada pura e name dropping de personalidades e serviços online colidem com um toque lovecraftiano em tom de repetição contínua de memes. A premissa é intrigante. Sterling pega na linguagem de código e associa-a à magia, e pergunta-se: e se subjacente ao mundo físico estivesse um obscuro código computacional, arcano e invisível para a percepção humana? A sociedade em rede ganha aqui uma dimensão misticista, onde a linguagem de programação se funde com os arcanos encantamentos da obscura magia.

The Dust Assassin: Ian McDonald mergulha-nos numa torrente de ideias exóticas e futuristas num conto passado num futuro concebido de acordo com uma visão muito distinta da ocidental, misturando concepções orientais, tecnologia e aquele ambiente que o certeiro Bruce Sterling classificou de favela chic. Numa Jaipur futurista dinastias ancestrais, guerras comerciais e o controlo de recursos hídricos colidem violentamente. A herdeira de uma das mais ricas famílias vê o seu palácio invadido por macacos mecânicos controlados pela família rival. Só sobrevive porque alguns servos neutros, humanos que transcenderam a dualidade homem/mulher, a escondem nos seus aposentos. O extermínio de uma família traz vingança imediata automatizada, com salvos de mísseis inteligentes que dizimam todos os rivais. Só sobrevive o filho mais novo. Num toque romeu e julieta, ou píramo e tisbe para os mais classicistas, este rapta a rival sobrevivente e convence-a a casar, conseguindo assim unir as duas famílias, colocar um ponto final na rivalidade sangrenta e criar um novo império financeiro. Seduzida, a jovem herdeira aquiesce, mas no momento do casamento é recordada que o seu corpo é uma arma na luta entre famílias quando com um primeiro beijo mata o marido com um choque anafilático. Conto de assinalável amplitude, revela influências que vão do cyberpunk aos esquemas literários clássicos, mergulhando o leitor num exótico orientalismo futurista.

Sem comentários: